UFG participa de festival que divulga ciência em bares e restaurantes

Print Friendly

Pint of Science. Foto: Divulgação.

Você chega para um happy hour com os amigos num bar da cidade e se depara com vários cientistas falando sobre temas curiosos da atualidade e sobre como eles impactam sua vida. Cenário pouco provável? Não para quem participar do Pint of Science Brasil, um festival internacional de divulgação científica que este ano será realizado pela primeira vez em Goiânia, nos dias 15, 16 e 17 de maio, com participação de pesquisadores da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Durante as três noites do festival, seis debates sobre temas como paleontologia, evolução humana, desenvolvimento de vacinas, física quântica e nanotecnologia movimentarão o Quiosque Colombina e o Matuto Bar, localizados nos setores Marista e Leste Universitário, respectivamente. O evento é gratuito e as pessoas só pagarão o que consumirem nos locais em que ocorrerá cada bate-papo.

Em Goiânia, a programação é coordenada pelo professor do Instituto de Ciências Biológicas da UFG, Adriano Melo. O docente acredita que muitos problemas vivenciados atualmente poderiam ser resolvidos ou amenizados com governantes e populações mais familiarizadas com os conceitos científicos. “Ciência é algo fascinante, está no nosso dia a dia e combina muito bem com uma conversa em um bar!”

Evento internacional
O Pint of Science é como se fosse um grande festival de música, em que os artistas se apresentam simultaneamente em vários palcos a cada noite. Só que, nesse caso, os artistas são os pesquisadores e demais participantes convidados para conversar com o público. A iniciativa, que é formada por uma rede de voluntários, acontecerá simultaneamente em mais de 100 municípios espalhados por onze países: Brasil, Alemanha, Austrália, Canadá, Espanha, França, Irlanda, Itália, Japão, Reino Unido e Tailândia. No Brasil, 22 cidades sediarão o evento.

Na capital goiana, além da UFG, o evento recebe a colaboração do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Ecologia, Evolução e Conservação da Biodiversidade. Em âmbito nacional, o festival é patrocinado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, eScience Unicamp, Galoá e por quatro Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid), financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp): o Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria; Centro de Pesquisa e Inovação em Biodiversidade e Fármacos; o Centro de Pesquisa, Educação e Inovação em Vidros; e o Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades.

Como tudo começou
A proposta de divulgação científica nos bares surgiu quando dois pesquisadores do Imperial College London, Michael Motskin e Praveen Paul, organizaram um evento em que pessoas acometidas por Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla eram convidadas a conhecerem os laboratórios dos pesquisadores e ver de perto o tipo de pesquisa que realizavam.

A experiência foi tão inspiradora que os dois decidiram propor uma iniciativa em que os pesquisadores poderiam sair de seus laboratórios para conversar diretamente com as pessoas. Nasceu, assim, o Pint of Science, que rapidamente se espalhou pelo mundo. Em 2015, o evento foi realizado pela primeira vez no Brasil pelo Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos.

Programação Pint of Science em Goiânia:

Segunda-feira, 15/05, às 19h30
1 – Entre Dinossauros e Mamutes: uma conversa com a Ciência do passado
Local: Quiosque Colombina
2 – Desmi(s)tificando a física quântica
Local: Matuto Bar

Terça-feira, 16/05, às 19h30
1 – Nosso lugar na natureza: de onde viemos e para onde vamos
Local: Quiosque Colombina
2 – Um laboratório na palma da mão
Local: Matuto Bar

Quarta-feira, 17/05, às 19h30
1 – Da Tuberculose à Zika: Potenciais tratamentos, vacinas e outros petiscos
Local: Quiosque Colombina
2 – Como a nanotecnologia pode influenciar o tratamento de doenças?
Local: Matuto Bar

Fonte: Ascom UFG (texto: Angélica Queiroz).

Posted in Notícias, Notícias CT&I.