Seminário avalia 29 pesquisas científicas para melhoria do atendimento do SUS

Print Friendly, PDF & Email
milca seminário ppsus

O seminário foi aberto pela pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), Milca Severino. Foto: Ascom Fapeg.

A pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), Milca Severino, abriu nesta quinta-feira, dia 16, no Prédio da Reitoria da (PUC Goiás), em Goiânia, o Seminário de Avaliação Final do Programa Pesquisa para o SUS: Gestão compartilhada em Saúde (PPSUS) da Chamada Pública nº 12/2013. Ao receber os 29 pesquisadores que concluíram as suas pesquisas, e demais autoridades, a pró-reitora deu as boas-vindas e reforçou a necessidade da continuidade do PPSUS para dar seguimento às pesquisas científicas no Estado. “O programa, além de promover a qualificação de recursos humanos, promove pesquisas que ao serem incorporadas pelo SUS vão oferecer atendimento de qualidade à população”, afirmou a pró-reitora.

Milca Severino agradeceu o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), que com o fomento público tem contribuído para o desenvolvimento da ciência e tecnologia. Por conta das adversidades que o País vem passando, a pró-reitora afirmou que “a Fapeg tem sido muito valente e sob uma direção e coordenação competente os problemas ficam menores”. Ela ressaltou o interesse crescente das instituições goianas em participar do programa.

O evento prossegue até sexta-feira, dia 17. Nestes dois dias, os 29 pesquisadores selecionados pela chamada pública vão apresentar a uma comissão de representantes de gestores públicos de saúde do Ministério da Saúde, da Secretaria Estadual da Saúde e professores de universidades, o relatório final de seus trabalhos, contendo os principais resultados das pesquisas com foco na sua incorporação e utilização na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS). Farão ainda, a prestação de contas dos recursos que foram disponibilizados para o fomento das atividades diretamente vinculadas à pesquisa.

Os dois dias serão um momento em que a ciência (pesquisador) e o tomador de decisões (gestores) estarão juntos para apresentar os resultados inovadores dos projetos de pesquisa e discutir a possibilidade de incorporá-los ao sistema público de saúde para melhorar o atendimento à população, fortalecendo o processo de tomada de decisão dos gestores e equipes técnicas do SUS. O seminário acaba, também, fomentando a troca de experiências entre os pesquisadores. As 29 pesquisas científicas estarão à disposição dos gestores públicos de saúde como contribuição significativa para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação para esse campo no Estado de Goiás.

zaira seminário ppsus

Presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi. Foto: Ascom Fapeg.

A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Maria Zaira Turchi, ressaltou que a Fapeg tem procurado dar a sua contribuição para fomentar os trabalhos de altíssima qualidade, que vêm sendo apresentados por pesquisadores das várias instituições de ensino, que, por meio de investigação científica sobre os problemas e carências prioritários de saúde trazem inovações que vão poder subsidiar as decisões técnicas e políticas a serem adotadas pelo Sistema Único de Saúde, e com a sua incorporação ao sistema vão poder contribuir para a melhoria da atenção à saúde prestada à população. Para ela, “a razão do trabalho da Fapeg é a existência de uma comunidade científica em Goiás competente, de alto nível e que merece todo o esforço e empenho para apoiar, de modo contínuo e regular, o desenvolvimento da pesquisa científica, tecnológica e de inovação”.

Ela lembrou que uma nova chamada pública, a quarta do PPSUS em Goiás, foi aberta neste ano. Foram recebidas 120 propostas, que estão em julgamento, para uma nova etapa de pesquisas voltadas para o sistema de saúde. O salto do número de propostas da terceira para a quarta edição, segundo ela, foi muito grande. Para Zaira Turchi, o êxito do programa se deve ao trabalho executado com todas as pontas onde, “todos os atores são importantes para o resultado e os desdobramentos em se aplicar o máximo dos resultados na melhoria do atendimento do SUS”. Ela também afirmou que muitos projetos já estão sendo aplicados na rotina, mas que é possível aprimorar o sistema ainda mais.

aurélio seminário ppsus

Gerente do Centro de Excelência em Ensino, Pesquisa e Projetos – Leide das Neves Ferreira, Aurélio de Melo Barbosa representou a Secretaria de Estado da Saúde. Foto: Ascom Fapeg.

Representando a superintendente de Educação em Saúde e Trabalho para o SUS, da Secretaria de Estado da Saúde, Rafaela Júlia Batista Veronezi, falou o gerente do Centro de Excelência em Ensino, Pesquisa e Projetos – Leide das Neves Ferreira, Aurélio de Melo Barbosa, que frisou que a Secretaria da Saúde tem se preocupado com a questão da pesquisa científica e falou da importância da “parceria com a Fapeg para o estímulo à realização das pesquisas para dar respostas às lacunas de conhecimento existentes no sistema público de saúde”.

Ressaltou ainda a importância das oficinas, “para se definir as prioridades a serem pesquisadas para que, com o conhecimento aplicado surjam as propostas de política de saúde para melhorar o atendimento”. Ele afirmou que o grande desafio no Brasil é a incorporação do conhecimento na gestão e que o seminário dá um passo nesse sentido ao incorporar os projetos, em sínteses de evidências que serão levadas para os gestores.

Também participaram da solenidade Giliana Betini e Roberta Ataídes, da Coordenação-Geral de Fomento à Pesquisa e Avaliação de Tecnologia em Saúde do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

Para esta chamada pública, foram destinados, por meio do edital, recursos para o financiamento de propostas no valor global de R$ 2,320 milhões, conforme acordo firmado entre o CNPq e a Fapeg. Deste total, R$ 1,320 milhão é proveniente do Decit/SCTIE/Ministério da Saúde repassados ao CNPq e R$ 1 milhão da Fapeg, oriundo do Tesouro do Estado de Goiás. Os projetos de pesquisa receberam entre R$ 50 mil e R$ 100 mil para o fomento de suas pesquisas. Os trabalhos foram desenvolvidos nas seguintes linhas temáticas: promoção à saúde; prevenção; diagnóstico; tratamento e controle de doenças; inovação tecnológica em saúde no SUS; atenção psicossocial; avaliação de tecnologias em saúde; educação em saúde; vigilância ambiental; atenção ambulatorial especializada e hospitalar; assistência farmacêutica; avaliação de sistemas, serviços e programas de saúde; e atenção primária.

ministério da saúde ppsus

Roberta Ataídes, da Coordenação-Geral de Fomento à Pesquisa e Avaliação de Tecnologia em Saúde do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde. Foto: Ascom Fapeg.

O Programa Pesquisa para o SUS: Gestão compartilhada em Saúde – PPSUS é realizado por meio da parceria entre a Fapeg, o Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (Decit/SCTIE), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Secretaria da Saúde do Estado de Goiás (SES-GO). A proposta do Programa é uma estratégia aberta a pesquisadores que são convidados a apresentar projetos para apoiar e fortalecer o desenvolvimento de pesquisas que busquem soluções para as prioridades de saúde e promovam o fortalecimento da Política Nacional de Saúde.

Veja as pesquisas que serão apresentadas nestes dois dias:
ANA MARIA DE CASTRO (UFG)- Triagem sorológica em recém-nascidos para toxoplasmose e tripanossomíase americana (doença de chagas) através da inclusão destes testes a ser implantada pelo sus no teste do pezinho visando o diagnóstico.

ANGELA ADAMSKI DA SILVA REIS (UFG) – Uso de estratégia molecular para rastreamento de mulheres com risco de desenvolvimento de câncer cervical no âmbito do sus

CLÁUDIO CARLOS DA SILVA – Novas metodologias de análise cromossômica para a elucidação do diagnóstico genético-laboratorial de pacientes com indicação clínica de síndrome de Down e cariótipo normal

ELISMAURO FRANCISCO DE MENDONÇA (UFG)- Índice de adesão ao programa de preparo e controle odontológico de pacientes com câncer de boca submetidos a tratamentos adjuvantes de radioterapia e/ou quimioterapia e avaliação dos efeitos adversos

ELLEN SYNTHIA FERNANDES DE OLIVEIRA (UFG)- Atuação dos representantes do comitê estadual de mobilização contra dengue de Goiás nas ações de vigilância em saúde

GUSTAVO RODRIGUES PEDRINO (UFG)- Relação entre o polimorfismo dos genes das enzimas conversoras de angiotensina e a incidência de hipertensão arterial sistêmica na população da região metropolitana de Goiânia – GO

IEDA MARIA SAPATEIRO TORRES (UFG) – Análise microbiológica quantitativa e qualitativa do ar, de superfícies, uniformes e luvas em ambientes hospitalares controlados

JOSÉ REALINO DE PAULA (UFG)- Estudo clínico controlado para avaliar tolerabilidade do uso de drogas vegetais em pacientes atendidos em um ambulatório de fitoterapia do sistema único de saúde

MEGMAR APARECIDA DOS SANTOS CARNEIRO (UFG)– Perfil epidemiológico e avaliação da angiogênese no carcinoma de pênis no estado de Goiás

MENIRA BORGES DE LIMA DIAS E SOUZA (UFG)- Estudo prospectivo de reativação de citomegalovírus em pacientes submetidos a transplante alogênico de células progenitoras hematopoiéticas: comparação entre a detecção do DNA viral por PCR, PCR em tempo real e antigenemia (antígeno pp65)

APARECIDO DIVINO DA CRUZ (PUC Goiás) – Aplicabilidade da análise de cromossomos em microarranjos para investigação laboratorial do transtorno do espectro autista (TEA)

CLÁUDIO RODRIGUES LELES (UFG) – Custo-efetividade do uso de implantes para o tratamento do edentulismo mandibular

DALTON MATSUO TAVARES (UFG) – Arquitetura para monitoramento de sinais vitais em longa distância em saúde

ISABELA JUBE WASTOWSKI (UEG) – Avaliação das translocações dos cromossomos 11/14 e 14/18 e da tirosina quinase de Bruton em doenças linfoproliferativas em fase circulante: aplicação para o diagnóstico diferencial e estabelecimento de prognóstico

MILTON ADRIANO PELLI DE OLIVEIRA (UFG) – Construção de um método laboratorial para auxiliar no diagnóstico de cura de pacientes portadores de leishmaniose tegumentar americana

CIBELLE KAYENNE MARTINS ROBERTO FORMIGA (UEG) – Avaliação e promoção do crescimento e desenvolvimento de crianças em creches públicas de Goiânia

LILIAN VARANDA PEREIRA (UFG)- Cronificação da dor pós-operatória em uma coorte de mulheres brasileiras submetidas a cesariana

LUIZ CARLOS DA CUNHA (UFG)- Avaliação da adesão e dos fatores relacionados à falha terapêutica em pacientes portadores de leucemia mielóide crônica em hospital-escola em Goiás

MARIA MARCIA BACHION (UEG)- Efetividade de tecnologias interdisciplinares e multidimensionais na cicatrização de úlceras venosas, dor nas pernas e autoavaliação de saúde e qualidade de vida dos usuários num período de seis meses de seguimento na atenção primária

MARILIA DALVA TURCHI (UFG)- Alterações da densidade óssea e risco de fraturas em pacientes HIV positivos: um estudo transversal

Apresentações de resultados tiveram início nesta quinta-feira, dia 16. Foto: Ascom Fapeg.

MELISSA AMELOTI GOMES AVELINO (UFG) – Avaliação do perfil de crianças traqueostomizadas atendidas em dois hospitais universitários terciários

PAULO CESAR BRANDÃO VEIGA JARDIM (UFG) – Ensaio clínico duplo-cego, controlado e randomizado para testar a eficácia e tolerabilidade de um extrato seco padronizado da Equisetum arvense L. comparado com hidroclorotiazida em pacientes com hipertensão arterial estágio I

WEIMAR KUNZ SEBBA BARROSO DE SOUZA (UFG) – Evolução da hipertensão arterial e de fatores de risco cardiovasculares em uma cidade de pequeno porte em um intervalo de onze anos

MARIA APARECIDA DE SOUZA MELO (UEG) – Identificação dos incidentes críticos na notificação de doenças no âmbito da vigilância em saúde

MARINÉSIA APARECIDA PRADO PALLOS (UFG) – Implantação de auditoria interna em hospitais públicos do estado de Goiás

MÉRCIA PANDOLFO PROVIN (UFG)- Novas institucionalidades na garantia do direito ao acesso à saúde

RITA GORETI AMARAL (UFG) – Avaliação da rede integrada de serviços de atenção à saúde com ênfase no câncer do colo do útero, segundo os parâmetros de estrutura, processo e resultado

SÔNIA MARIA MELLO NEVES (PUC Goiás) – Programa saúde na escola: avaliação dos efeitos da linha de ação promoção da cultura de paz e prevenção das violências

CAMILA CARDOSO CAIXETA (UFG) – Saúde mental, álcool e outras drogas e o uso da tecnologia grupal

Conheça mais sobre as pesquisas aqui.

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg.

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.