Presidentes da Fapeg e da Capes discutem diretrizes para 2019

Encontro presidentes Capes e Fapeg

Foto: Divulgação.

O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos Vieira, e o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Anderson Ribeiro Correia, se reuniram na última segunda-feira, dia 29, em Brasília. Neste primeiro encontro oficial dos dois presidentes de agências de fomento à pesquisa, empossados neste ano, foram discutidas as diretrizes que serão implementadas pela Capes nesta nova gestão, incluindo questões financeiras, orçamentárias, lançamento de novos acordos e editais, reavaliação de acordos já existentes e sobre as mudanças no sistema de avaliação dos programas de pós-graduação que estão sendo estudadas. Também participaram da reunião, o chefe de gabinete da Fapeg, Vanderlei Cassiano, e a diretora de Programas e Bolsas no País, Zena Martins.

A situação da Capes e os programas desenvolvidos atualmente também foram apresentados na reunião. A Capes se comprometeu a dar continuidade ao pagamento de bolsas que já foram concedidas – apesar de estar em análise a reorientação das metas dos acordos e de ações estratégicas – assim como ao pagamento de ações internacionais que já foram firmadas.

A diretora de Programas e Bolsas no País, Zena Martins, explicou que as mudanças no sistema de avaliação dos programas têm como um dos focos, diminuir as distorções produzidas atendendo as especificidades de cada programa. Segundo ela, a premissa básica é considerar a distribuição de bolsas com base no processo de avaliação dos programas de pós-graduação conduzido e coordenado pela Capes, avaliando o rendimento de cada programa. A Capes entende que, com o novo modelo, os programas podem ser avaliados em vários aspectos, incluindo resultados em eixos como formação de recursos humanos, internacionalização, inovação e transferência de conhecimento, impacto e relevância econômica e social. No próximo dia 8, o presidente da Capes estará em Goiânia para uma reunião com o reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira para tratar da questão.

Parceria Capes e Fapeg
O presidente da Fapeg, Robson Vieira, discutiu ainda, especificamente, a continuidade do acordo Capes-Fapeg de Apoio ao Desenvolvimento de Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em instituições de ensino de Goiás. O acordo tem por objetivo a cooperação técnica e acadêmica entre as duas agências de fomento visando o apoio aos programas de pós-graduação Stricto Sensu em instituições de ensino superior sediadas no Estado de Goiás. O acordo inclui desde a concessão de bolsas em diversos níveis, apoio à infraestrutura de programas de pós-graduação, com o objetivo de reforçar e ampliar a formação de recursos humanos altamente qualificados para a ciência e a inovação. Firmado em 2017 para vigorar até 2023, o acordo contém 12 metas – algumas já implementadas, outras em andamento e algumas que ainda não foram lançadas – que envolvem liberação de recursos em parceria Fapeg e Capes e outros apenas da Capes. Entram neste acordo as bolsas de mestrado e doutorado Capes/Fapeg; o Programa Docfix; e o lançamento do edital de pós-doutorado nas empresas.

As 12 metas do acordo são: Apoio aos programas de pós-graduação acadêmicos das IES de Goiás; Cotas de bolsas de pós-doutorado nas empresas de Goiás; Cotas de bolsas de mestrado/Capes; Cotas de bolsas de doutorado no País; Cotas de bolsas de iniciação científica; Cotas de bolsas de Pós-Doutorado (DOCFIX); Cotas de bolsas de pós-doutorado no País; Internacionalização: missão ao exterior; Cotas de bolsas de mestrado; Cotas de bolsas de doutorado; Pesquisador visitante do Exterior e Pesquisador visitante nacional sênior; e Apoio à pós-graduação.

A orientação foi no sentido de aguardar a reavaliação de todos os acordos com todas as Fundações de Amparo à Pesquisa que a Capes está executando para que sejam adotadas as novas diretrizes nos estados.

Defesa nacional
Ainda durante o encontro, a Capes levou à discussão o lançamento de uma chamada relacionada à área de Defesa Nacional (Procad Defesa), no valor de R$ 14,6 milhões, antecipando que a cidade de Anápolis, por abrigar a Base Aérea, pode se beneficiar da nova chamada.

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.