Presidente da Fapeg participa da abertura da 69ª Reunião Anual da SBPC

Print Friendly

A presidente da Fapeg e do Confap participou da abertura da 69ª Reunião Anual da SBPC. Foto: Núbia Rodrigues / Ascom Fapeg.

A presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) e do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), Maria Zaira Turchi, participou da solenidade de abertura da 69ª reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada na noite do domingo, dia 16, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte.

Para a professora Maria Zaira Turchi, é motivo de orgulho participar de um evento como este em que pesquisadores de diversos lugares do País estão reunidos mostrando à sociedade brasileira a relevância da pesquisa científica, tecnológica e de inovação. “A SBPC está com uma programação excelente, com conferências e oportunidades para apresentar projetos de maior relevância, o que mostra que é preciso investir na ciência, tecnologia e inovação. Se queremos pensar em um Brasil mais justo, com mais qualidade de vida e inclusão, é necessário investir em ciência, tecnologia e inovação”, declarou.

A Reunião Anual da SBPC é o maior evento de ciência da América Latina e reúne diversas atividades como mesas-redondas, conferências, minicursos e sessões de pôsteres. As reuniões anuais da SBPC têm como objetivos debater políticas públicas nas áreas de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação e difundir os avanços da Ciência nas diversas áreas do conhecimento. Além da programação científica, o evento também apresenta atividades reunidas em programações paralelas, como SBPC Jovem, SBPC Cultural e ExpoT&C. O evento segue até no sábado, dia 22.

“Com ciência e tecnologia de qualidade, podemos ter o Brasil que queremos”, afirmou Helena Nader durante o evento. Foto: Núbia Rodrigues / Ascom Fapeg.

De acordo com a presidente da SBPC, Helena Nader, a trajetória das reuniões sempre foi de pautada por muitas lutas, como há 40 anos, quando foi realizada a 39ª reunião da SBPC em meio à ditadura militar. Ela afirma que a SBPC tem lutado contra o retrocesso e os cortes pelos quais a ciência tem passado. “Educação e ciência são investimentos e não despesas. Com ciência e tecnologia de qualidade, podemos ter o Brasil que queremos”, conclamou.

Abertura
Com auditório lotado, entre pesquisadores seniores, estudantes interessados na ciência e diversas autoridades, o evento teve início com a apresentação do coral Ars Novas, que mostrou exatamente o tema do evento: “Inovação – Diversidade – Transformações”. Segundo a vice-reitora da UFMG e coordenadora local do evento, Sandra Goulart Almeida, a SBPC é um momento de reflexão sobre toda a diversidade encontrada nos tempos atuais. Ela citou a SBPC Afro-Indígena e a SBPC Cultural, que fazem parte da programação, como importantes espaços de discussões acerca do diferentes temas da reunião.

Dezenas de autoridades políticas e científicas brasileiras participaram da abertura do maior evento científico do País. Foto: Núbia Rodrigues / Ascom Fapeg.

A vice-reitora lembrou que esta é a quinta vez que a UFMG recebe uma edição da SBPC, exatamente neste ano quando a universidade completa 90 anos. O reitor da UFMG, Jaime Arturo Ramírez, destacou em seu discurso sobre a desigualdade social ainda presente no Brasil e que ações importantes como as das cotas para a população mais vulnerável garantem a cidadania para que todos tenham acesso à educação, ciência e tecnologia.

A presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação (ANPG), Tamara Naiz, ressaltou, que mesmo diante das dificuldades que a ciência tem passado no País, pesquisadores e professores têm lutado dia após dia para o fortalecimento das Fundações e da pesquisa científica no Brasil. Na mesma linha, o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Jailson de Andrade, ressaltou seu otimismo quanto à humanidade, mesmo diante dos elevados números de violência registrados no País. Ele ainda citou sobre a Agenda 2030, um plano de ação para alcançar o desenvolvimento sustentável.

Homenagens
Durante o evento, professores e pesquisadores importantes para o desenvolvimento científico do País, como Sérgio Henrique Ferreira e Beatriz de Bulhões, receberam homenagens de parentes e colegas de profissão. Ângelo Barbosa Machado, homenageado ainda em vida, fez um discurso com o bom humor com o qual é conhecido, mostrando sua paixão pelas libélulas e pela neurociência. “Nesses anos todos descobri a função das libélulas: fazer de Ângelo Machado um homem mais feliz”, disparou ao comentar sobre sua paixão pela ciência.

O repórter da Folha de São Paulo, Reinaldo José Lopes, que foi o vencedor no 37º prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica, na categoria “Jornalista em Ciência e Tecnologia”, também foi homenageado com um troféu. Para o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Mário Neto Borges, ter este tipo de divulgação científica por meio de reportagens, em uma linguagem mais didática, aproxima a população da ciência.

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.