Pesquisadores ressaltam importância do fomento da Fapeg na construção de redes por meio da participação em eventos científicos

Vera Saddi no Eurogin 2018

Eurogin 2018 – International Multidisciplinary Conference

Helenice Ferreira, da Assessoria de Comunicação Social da Fapeg

Dezembro de 2018, Lisboa, Portugal. Representantes de vários países interessados em temas relacionados ao Papilomavírus Humano (HPV) e às doenças associadas ao vírus estavam reunidos no Eurogin 2018 – International Multidisciplinary Conference, congresso anual que oferece atualização científica de alto nível sobre o tema. Eles discutiam sobre os testes moleculares usados na detecção de HPV no monitoramento de doenças do trato genital e suas aplicações na rotina clínica; o uso das vacinas profiláticas; revisão da epidemiologia das doenças associadas ao HPV; e a revisão de diferentes ferramentas e técnicas disponíveis para o diagnóstico de doenças associadas ao HPV, entre outros temas.

Com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), a pesquisadora doutora Vera Aparecida Saddi, com graduação em Ciências Biológicas Modalidade Médica pela Universidade Católica de Goiás (1981), mestrado em Biologia Molecular – University of Victoria – Canadá (1994) e doutorado em Ciências (Fisiologia Humana) pela Universidade de São Paulo (2004), atualmente professora na PUC Goiás, apresentou, durante a conferência, o trabalho de pesquisa intitulado Angiopoietin-1, Angiopoietin-2 and the receptor Tie2 in patients with penile carcinomas.

A conferência aconteceu de 2 a 5 de dezembro do ano passado. Na forma de pôster, Vera Saddi apresentou o trabalho, que investigou a expressão de marcadores moleculares relacionados ao aparecimento de metástases em carcinomas pênis HPV-positivos e HPV-negativos, projeto de pesquisa que também recebeu apoio financeiro da Fapeg. Ela reforça a necessidade de os governantes entenderem que a pesquisa está diretamente relacionada com desenvolvimento. “Pesquisa não produz benefício imediato, mas produz formação de recursos humanos, oportunidade de treinamento e intercâmbios que acabam melhorando o serviço,” ressalta a pesquisadora.

Foto: Arquivo pessoal

Atualmente, Vera Saddi é professora adjunta da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) e orientadora de trabalhos no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Saúde desta Universidade; e professora de Bioquímica e Genética Molecular. Atua principalmente nos seguintes temas: Genética Molecular do Câncer, com ênfase na detecção e genotipagem de HPV, câncer cervical, câncer de mama, sarcomas e carcinomas de tiroide. Utiliza marcadores moleculares e polimorfismos genéticos para estudos preditivos e prognósticos do câncer.

“O Eurogin representa uma oportunidade singular para apresentação e discussão de trabalhos científicos relacionados ao assunto e uma forma de integrar a produção científica do Estado de Goiás no contexto mundial”, comentou a pesquisadora. Segundo ela, a Fapeg já financiou vários artigos publicados pelo grupo de pesquisa sobre o HPV que já foram previamente apresentados em edições anteriores do Eurogin.

“Nós fazemos parte de um grupo de pesquisadoras da PUC Goiás e da UFG que desenvolve projetos de pesquisa sobre a infecção causada pelo HPV e as doenças associadas ao vírus. Assim, o Eurogin faz parte do nosso calendário anual de eventos no sentido de divulgar nossas pesquisas e acelerar a transferência de conhecimentos científicos”, ressaltou ela.

Fomento da Fapeg
Esse tipo de fomento faz parte das ações finalísticas da Fapeg, que oferece desde 2012 o edital de Participação em Eventos. Por meio de Chamada Pública, a Fapeg seleciona e oferece apoio financeiro a pesquisadores doutores que têm vínculos com instituições de ensino superior ou com instituições de ciência, tecnologia e inovação goianas, nas diversas áreas do conhecimento científico, para que possam divulgar seus projetos durante eventos científicos, tecnológicos e de inovação no Brasil e no exterior. Neste período, foram contratadas mais de 1.500 propostas, com investimentos de quase R$ 10 milhões. Foram selecionadas propostas de pesquisadores de 20 instituições, para participação em eventos em 67 países e 24 estados da Federação.

Com isso, além de dar maior visibilidade às descobertas e estudos realizados em Goiás, o edital tem proporcionado, aos pesquisadores, a possibilidade de conhecer novas pesquisas desenvolvidas em todo o mundo; a formação de parcerias e interações com centros avançados de pesquisa no País e no exterior; formação de redes internacionais e nacionais de pesquisa; e a ampliação da produção científica e pesquisas qualificadas realizadas por pesquisadores e equipes em diferentes áreas. Também contribui para a inserção do Estado de Goiás em um cenário global no âmbito da ciência e da pesquisa e, consequentemente, para promover o desenvolvimento econômico, social e cultural, melhorando a qualidade de vida da população e a competitividade do Estado.

Neste mês de junho, a Fapeg lançou duas novas Chamadas Públicas: a Chamada Pública nº 01/19 voltada à formação de redes de pesquisadores por meio da participação em eventos científicos e/ou tecnológicos em outros estados e países; e a Chamada Pública nº 02/19 de seleção de propostas para apoio à realização de eventos científicos, tecnológicos e de inovação em Goiás – estes voltados à difusão da ciência, estímulo a ecossistemas regionais de inovação e ciência, e sensibilização para o desenvolvimento de carreiras na ciência e tecnologia. No total, será investido nas duas chamadas montante de R$ 2,250 milhões. Embora tradicionais junto à comunidade acadêmica, as chamadas apresentam algumas novidades neste ano. A Fapeg ampliou o alcance dos benefícios para atender às demandas que foram crescendo e diversificando ao longo do tempo. Os editais com todas as informações estão no link (clique aqui).

Estados Unidos
Em Nova York, Estados Unidos, o professor pesquisador Thiago Alves de Queiroz, da unidade de Matemática e Tecnologia, Regional da Universidade Federal de Goiás (UFG/Catalão), participou, também em dezembro, da International Conference on Science, Engineering & Technology – ICSET 2018. A ICSET 2018 é uma conferência internacional considerada um fórum multidisciplinar para estudantes, engenheiros, cientistas, pesquisadores e acadêmicos compartilharem suas pesquisas e descobertas recentes no campo da ciência, engenharia e tecnologia. A partir de uma seleção criteriosa dos artigos completos submetidos e apresentados, a ICSET garante a publicação em uma biblioteca digital, com DOI e indexados na ISI Web of Knowledge.

Thiago Queiroz

Thiago Queiroz recebe certificado de publicação/apresentação e medalha pela qualidade do trabalho, considerado um “Best paper award” dentre os trabalhos publicados e apresentados

A participação do pesquisador constou de apresentação de um artigo feito em colaboração com suas alunas do mestrado em Modelagem e Otimização e em Engenharia de Produção, da UFG-Regional Catalão. A contribuição está relacionada com a “melhoria no processo de tomada de decisão em empresas do setor logístico no que tange a problemas de otimização combinatorial na área de pesquisa operacional”. Ele explica que o problema abordado está relacionado com o carregamento de objetos em contêineres (caminhões-baú, aviões, trens etc.), comum em empresas do setor logístico.

“Foram propostas duas formas de resolver o problema (isto é, dois métodos de solução), com o objetivo de compará-las e ver qual delas traz melhorias com relação à ocupação do contêiner”, explicou. Ele revelou que “a participação no ICSET permitiu a divulgação das pesquisas que o grupo realiza em Catalão-GO; o contato com outros profissionais da academia e de empresas, e a atualização para com o estado-da-arte (em termos de novos problemas reais e tendências atuais de pesquisa, quais características têm sido requisitadas por empresas quando resolvendo os problemas, que tipos de métodos de solução podem ser usados e quais contribuições eles podem trazer para as empresas e a nível científico”.

Segundo ele, o trabalho de pesquisa traz a comparação entre duas abordagens exatas, que mostram como carregar caixas em contêineres (que também pode ser aplicado no carregamento de caminhões, trens, aviões e navios). Como o problema sendo resolvido é NP-Difícil, abordagens exatas costumam ser proibitivas para instâncias grandes, daí a necessidade de propor uma abordagem que seja eficaz do ponto de vista prático. A segunda abordagem proposta mostrou-se superior nos experimentos computacionais, pois conseguiu testar mais possibilidades de empacotamento, inserir mais cortes para evitar empacotamentos inválidos e ter um tempo de processamento bem próximo da primeira abordagem, que é a comumente adotada na literatura. Com isso, a segunda abordagem pode ser utilizada durante a construção de softwares especializados para o processo de tomada de decisões, explica a pesquisa.

No Japão

Mauro Caetano

Foto: Arquivo Pessoal

Em Fukuoka, Japão, o professor doutor Mauro Caetano de Souza, da Universidade Federal de Goiás (UFG) participou como apresentador de trabalho científico e debatedor do ISPIM Connects Fukuoka: International Society for Professional Innovation Management, com apoio da Fapeg por meio da chamada Participação em Eventos.

Ele considera importante participar do evento porque é um momento onde são discutidas as principais ações internacionais em termos de gestão de inovação, como novos instrumentos gerenciais desenvolvidos, novas práticas gerenciais em execução, relatos de casos de sucesso na implementação da inovação, além da realização de intercâmbio com pesquisadores de diferentes países do mundo.

O estudo apresentado aborda a inovação aplicada à realidade aeroportuária, segundo ele, tema escasso na literatura tanto de inovação quanto de gestão aeroportuária. Ele considera o suporte da Fapeg no auxílio para custeios da viagem e apresentação do trabalho relevante tanto para o sucesso na disseminação dos resultados do estudo quanto na promoção de pesquisas relacionadas ao tema em Goiás.

Mauro Caetano é doutor em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo. Possui pós-doutorado em Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica (Instituto Tecnológico de Aeronáutica –ITA) e professor-pesquisador em Engenharia de Transportes (Gr-FCT/UFG), Administração (PG-PPGADM/UFG) e Engenharia de Infraestrutura Aeronáutica (PG-EIA/ITA).

Espanha

Rilner Flores

International Conference on Phosphorus, Boron and Silicon 2018 em Barcelona, Espanha. Foto: Arquivo pessoal

O professor doutor Rilner Alves Flores, do setor de Ciência do Solo da UFG, foi contemplado com apoio da Fapeg para apresentar sua pesquisa na International Conference on Phosphorus, Boron and Silicon 2018 em Barcelona, Espanha. A Conferência é um evento anual que atrai palestrantes de alto nível, pesquisadores de classe mundial para apresentações orais e de pôsteres, workshops, exibições de patrocinadores e trabalhos científicos envolvendo os três elementos: Fósforo, Boro e Silício, o que segundo o pesquisador se justifica pelo fato de que nas próximas décadas, a pesquisa em agronomia e em ciência do solo deve propor práticas agrícolas resilientes que possam acomodar as próximas mudanças ambientais e climáticas e a segurança alimentar.

O professor explica que “o projeto apresentado trata-se de uma nova fonte de Silício (Si) para aplicação foliar na cultura do tomate para processamento industrial, a qual visa incrementos em produtividade e, devido ao efeito do Silício na planta, redução da quantidade aplicada de defensivos químicos para o controle de pragas e doenças. Fato importante para a preservação do meio ambiente e sustentabilidade agrícola da cultura.” O estudo foi realizado em parceria com a Unesp de Jaboticabal (SP).

Rilner 3

Foto: Arquivo Pessoal

A apresentação da pesquisa teve como foco o tema voltado para a produção de tomate do tipo industrial com aplicação de silício. A pesquisa avalia o potencial de novas fontes de fertilizantes minerais capazes de nutrir a planta de forma eficiente e a aplicação do silício como parte complementar a esta nutrição que pode também reduzir os impactos ambientais causados pelo uso excessivo de pesticidas na agricultura moderna.

O Estado de Goiás é o maior produtor nacional do tomate industrial. O pesquisador explica que o Si é considerado um elemento benéfico às plantas por minimizar estresses bióticos (ataques de pragas e doenças) e abióticos (geadas, secas, altas temperaturas, salinidade, deficiência nutricional ou toxicidade), mantendo o potencial produtivo das plantas por meio de modificações bioquímicas, morfológicas e anatômicas. A aplicação foliar de silício ainda é pouco estudada, mas surge como uma nova alternativa para melhoria do estado nutricional da planta, podendo contribuir para redução de problemas fitossanitários, além de promover ganhos na qualidade e produtividade da cultura, explica o pesquisador.

Polônia e Marrocos

Luciane Martins de Araújo

Foto: Arquivo pessoal

A professora Luciane Martins de Araújo, da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) recebeu apoio da Fapeg para participar de duas conferências das Nações Unidas: Conferência do Clima (COP 24), em Katowice, Polônia e Conferência sobre o Pacto Mundial para imigração, Marrakesh, Marrocos, de 2 a 14 de dezembro de 2018. Nos dois eventos, a professora participou de side events organizados pelo Centro Internacional de Direito Ambiental Comparado (CIDCE – Universidade de Limoges, França).

A pesquisadora falou sobre o desastre ambiental em Mariana, há mais de três anos, no dia 5 de novembro de 2015, quando aconteceu o rompimento da barragem de Fundão, da mineradora Samarco. Luciane abordou o tema na perspectiva dos deslocados (aqueles que perderam seus locais de moradia) e também dos desamparados (aqueles que perderam seu modo de vida e que não têm recebido assistência devida por parte da empresa responsável pelo acidente).

Luciane

Foto: Arquivo Pessoal

Para a pesquisadora, foi importante levar ao debate internacional, em dois eventos da ONU, os problemas enfrentados no Brasil. “Brumadinho, essa nova tragédia ocorrida posteriormente, em janeiro de 2019, com o rompimento da barragem da Vale, demonstrou o descaso que pude denunciar nas minhas apresentações. É necessário que os responsáveis sejam punidos para que isso não se torne comum. Isso envolve preocupação com a vida, com o meio ambiente”, comenta Luciane. Ela ressalta ainda a importância da discussão sobre as mudanças climáticas. “São mais um fator de preocupação, já que os eventos climáticos extremos, como por exemplo, grandes tempestades, estão se tornando mais frequentes e podem provocar a sobrecarga das barragens. Discuti também a necessidade de reciclagem desses rejeitos de minérios, como por exemplo, utilizá-los para fazer tijolos ou telhas”.

Em Katowice, o evento aconteceu no local da conferência, em parceria com a Organização Internacional da Francofonia. Em Marrakesh, o evento aconteceu na Faculdade de Ciências Jurídicas, Econômicas e Sociais, da Universidade Adi Ayyad.

Alemanha

Santinha Neuda

International Conference for Academic Disciplines (track: higher education. A pesquisadora é a primeira da esquerda para a direita.

Em Freiburg, Alemanha, a professora-doutora Santinha Neuda Alves do Lago, com o apoio da Fapeg, apresentou seu trabalho intitulado Collaborative Learning in Higher Education Foreign Literature Classrooms durante a International Conference for Academic Disciplines (track: higher education), onde também coordenou sessão de comunicações. O trabalho apresentado se refere à experiência de construção colaborativa sociocultural de significado, de seus alunos de Literatura de Língua Inglesa, tanto do curso de Letras Inglês da Universidade Federal de Goiás (UFG) quanto do curso de Letras Inglês da Universidade Federal de Jataí, no contato com as metáforas contidas na literatura estrangeira.

O evento é um renomado congresso multidisciplinar que conta com a participação de pesquisadores em educação superior do mundo todo. Para a pesquisadora, “participar do evento foi de relevante importância para apresentar o trabalho de excelente qualidade desenvolvido nas Universidades Federais do Estado de Goiás, na minha área de atuação, e para iniciar relações acadêmicas com colegas de outras universidades ao redor do mundo”, finaliza.

Posted in Especiais, Notícias, Notícias FAPEG.