Imprensa conhece a Campus Party Goiás

imprensa na campus party

Foto: Edinan Ferreira

Profissionais da imprensa tiveram a oportunidade de conhecer na manhã desta quarta-feira, dia 4, a estrutura onde vai funcionar a Campus Party Goiás e de participar de uma entrevista coletiva com os organizadores e patrocinadores do evento, no Passeio das Águas Shopping, em Goiânia. É a primeira vez que Goiânia recebe a Campus Party, e essa edição, que acontece de 4 a 8 de setembro, traz como tema central “Ciências Aplicadas”.

O evento se traduz na maior imersão tecnológica do mundo em Internet das Coisas, Agrotech, Blockchain, Cultura Maker, Healthtech, Logística, Defesa, Gamers, Educação e Empreendedorismo do mundo e para sua realização, em Goiás, conta com apoio do Governo Estadual, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeg) e Secretaria de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), e as parcerias do Sebrae, Faeg, Senar e Caixa Econômica Federal.

Goiás no mapa digital mundial
O presidente do Instituto Campus Party, Francesco Farruggia, ressaltou que o evento coloca Goiás no mapa digital internacional, além de fazer o papel de ponte, de catalisador, estimulando o ecossistema local de acordo com a sua vocação e promovendo a interação com empreendedores de todo o país para troca de informações e experiências. “Estamos, com a Campus Party, acelerando o processo de transição da era industrial para a era digital. A Campus Party faz as coisas acontecerem mais rapidamente,” disse Farruggia.

Legados da Campus Party
Segundo ele, o legado que a Campus deixa para o Estado de Goiás é imensurável. “Os hackatons vão provocar soluções simples para diversos tipos de problemas da sociedade, por exemplo, temos o Desafio AgroStartup que vai propor soluções para promover a comercialização de produtos agropecuários e o Hackathon Governo Transparente, onde o Governo de Goiás abriu as portas para buscar soluções que promovam a transparência das ações da administração pública”. Fora as maratonas de conhecimento, ele citou a realização de palestras, workshops, mostras que vão servir para enriquecimento de conhecimento para o público jovem e empreendedores de TI que poderão resultar, a partir de novas ideias colaborativas, em novas empresas e startups de sucesso que podem colaborar com o desenvolvimento econômico, social e cultural do Estado.

Ele ressaltou que a Campus Party, além de difundir e popularizar as mais avançadas tecnologias, apoia o empreendedorismo digital, empodera os jovens, promove o desenvolvimento econômico e a inclusão social por meio da tecnologia. Um outro grande legado, citado por Francesco Farruggia, foi em decorrência do interesse da primeira-dama, Gracinha Caiado, pela instalação de 15 laboratórios de robótica do Projeto Include, do Instituto Campus Party, que em Goiás terá a parceria do Governo estadual e Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco).

A ideia é que estes laboratórios sejam criados em municípios mais carentes do Estado e em áreas de maior vulnerabilidade social de Goiânia. Os laboratórios têm como meta oferecer qualificação aos jovens de famílias de baixa renda para inclusão rápida no mercado de trabalho e propiciar protagonismo às comunidades, com a transferência de conhecimento tecnológico para que possam apresentar soluções para os seus próprios problemas. O projeto propõe ainda, identificar jovens que tenham talentos, ou seja, com altas habilidades, para que sejam encaminhados para escolas adequadas. Segundo ele, o processo, em Goiás, está em fase de avaliação de custos e em seguida, serão escolhidos os locais onde serão implantados os laboratórios, que serão entregues mobiliados e com equipamentos de eletrônica para ensino de robótica, impressora 3D, computadores, material didático, e internet de alta velocidade.

Fapeg no Fórum do Futuro
O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos Vieira, falou sobre a importância de se realizar outras edições da Campus Party nos próximos anos, pois é um evento alinhado às propostas da Fapeg, de promover a ciência, a tecnologia e inovação no Estado de Goiás, unindo jovens empreendedores, o conhecimento acadêmico e o governo para atender a demanda dos diversos segmentos da sociedade por novos serviços e tecnologias.

Robson Vieira preside nos dias 5 e 6, na Campus Party, o Fórum Internacional do Futuro do trabalho, homem ou máquina?. O evento conta com a participação de palestrantes renomados para debater temas ligados à ciência e tecnologia e os impactos da revolução digital no ambiente de trabalho. Nele serão debatidos como as profissões vão ser impactadas pelo desenvolvimento da inteligência artificial e os desdobramentos que vão acontecer nos planos moral, ético, econômico e político. Durante o evento serão ministradas palestras, mesas de discussão e a sala do futuro, onde acontecerão encontros exclusivos para convidados.

Dentre os temas que serão abordados estão: Os desafios da educação em tempos de disrupção; relação homem x máquina na era digital pós-industrial; tecnologias transversais, profissional multidisciplinares; as habilidades do profissional do futuro e do homem digital pleno e saídas para um futuro sem trabalho.Fórum do futuro na Campus Party

Também no dia 5, às 13 horas, no palco Feel The Future da Campus Party, no Passeio das Águas Shopping, será feito o lançamento do Programa Centelha Goiás. O programa tem como objetivo fortalecer os sistemas locais de inovação, com fomento a startups e ideias inovadoras. A Fapeg é parceira operacional estadual do Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores (Programa Centelha), que é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), e operado pela Fundação Certi.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedi), Adriano da Rocha Lima, comentou que o evento será uma verdadeira imersão na mais avançada tecnologia aplicada que será capaz de tirar da obscuridade o processo de inovação no Estado de Goiás, deixando um legado permanente para os goianos. Segundo ele, é preciso unir a produção de conhecimento ao setor produtivo, fazer com que as pesquisas produzidas nas universidades consigam chegar até a sociedade.

Um tour pela Campus
imprensa visita campus partyApós a coletiva, a imprensa foi convidada a fazer uma visita aos espaços da Campus Party. São três principais áreas que vão receber o público: Camping, Arena e Open Campus com os mais variados palcos onde mais de 40 mil pessoas devem se reunir durante os cinco dias para acompanhar palestras, debates, workshops e hackathons nas mais variadas áreas da ciência, tecnologia, matemática, educação, empreendedorismo e criatividade. Quem passar pelo local poderá interagir com simuladores de realidade virtual e aumentada, participar de batalhas de drones, presenciar mostras de projetos acadêmicos e startups, mostras, workshops, palestras entre outras atividades.

A Campus Party promete ser um local de encontro das mais variadas comunidades digitais do País que terão a oportunidade de interagir, compartilhar conhecimento, produzir novidades, networking, entretenimento e acompanhar tendências com o propósito de troca e aprendizado mútuo onde inovar é o carro-chefe. As ações acontecem de forma presencial e digital, num ambiente democrático, durante uma jornada multidisciplinar que propõe desafios e atividades diárias.

Participaram do evento, o diretor-geral da Campus Party, Tonico Novaes; o presidente do Instituto Campus Party, Francesco Farruggia; diretor de Marketing da Use Telecom, Marco Costa; o superintendente do Senar-Go, Dirceu Borges; o diretor-superintendente do Sebrae Goiás, Derly Cunha Fialho; o secretário de Desenvolvimento e Inovação, Adriano da Rocha Lima; e o presidente da Fapeg, Robson Domingos Vieira.

Assessoria de Comunicação Social Fapeg

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.