Fieg e Fapeg acertam caminho de mão dupla

Fapeg e Fieg discutem parceriasO que a indústria e a academia têm em comum nas ações em prol da promoção do desenvolvimento da tecnologia e da inovação em Goiás? A busca de parcerias nesse campo foi pauta de reunião, segunda-feira (1º de abril), na Casa da Indústria, entre os presidentes da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), Robson Domingos.

“Para ir para o futuro, temos de melhorar ainda mais o presente. Nossas escolas do Sesi e Senai têm diferenciais, acabamos de vencer torneio nacional de robótica e classificar times para disputas internacionais ainda este ano, nos Estados Unidos, e temos como meta ser a Coreia do Sul em educação, colocando em prática hoje o que os alunos precisarão daqui a dez anos”, disse o presidente da Fieg, Sandro Mabel. Ele defendeu a necessidade de a federação e a Fapeg andarem juntas, visando à promoção da inovação com resultados financeiros para a indústria.

O presidente da Fapeg ressaltou a necessidade de quebra de paradigma entre o setor produtivo e a academia, buscando a absorção pelo mercado de trabalho de profissionais de diversas áreas formados com bolsas concedidas pela fundação. Ele propôs ainda a multiplicação de centros de excelência, aproveitando-se a vocação regional, a exemplo de mineração em Catalão; de moda e fármacos, entre outros. No caso específico de Catalão, citou a possibilidade de experiência na utilização de resíduos de minérios de ferro para produzir tijolos, beneficiando a construção civil. Segundo ele, a Fapeg, em seu planejamento estratégico, está mapeando demandas por laboratórios, visando viabilizar iniciativas que sejam potenciais geradoras de inovação e renda.

“Queremos ser sócios dessas iniciativas e ter a Fapeg como bússola”, respondeu Sandro Mabel, citando como exemplo o modelo de parcerias que a entidade mantém com o Sebrae Goiás no âmbito do empreendedorismo e do desenvolvimento de micro e pequenos negócios.

Também participaram do encontro na Casa da Indústria o diretor regional do Senai e superintendente do Sesi, Paulo Vargas, e equipe; o superintendente do Sebrae Goiás, Leonardo Guedes, os presidentes dos Conselhos Temáticos de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação e Fieg Jovem, Heribaldo Egídio e Thais dos Santos, respectivamente, a diretora sindical da Federação, Denise Resende, entre outros gerentes do Sistema Fieg.

Projeto Moda

Na reunião, o gerente de Tecnologia e Inovação do Senai, Rolando Vargas, apresentou à Fapeg cinco projetos com proposta de parcerias entre as instituições. O principal deles, o Projeto Moda, que contempla um dos pilares estratégicos do Sistema Fieg para o desenvolvimento do segmento, baseia-se no conceito de openlab. Trata-se de um espaço de inovação voltado ao ecossistema têxtil e de confecção, com infraestrutura altamente tecnológica e laboratórios que possibilitam o desenvolvimento de provas de conceito, validação de tecnologias e testes de forma colaborativa. O projeto contempla dois laboratórios: a fábrica modelo de confecção, baseada no conceito Lean Manufacturing adaptado à produção do vestuário, com sistema de gestão integrado e automação dos processos; e o laboratório de criação em moda, equipado com tecnologia avançada, baseado no conceito future concept lab, que proporciona um ambiente de pesquisa, inovação, além de ser um observatório de sinais de tendências de mercado.

Institutos Senai

No âmbito do Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas, instalado em Goiânia, o projeto apresentado à Fapeg busca adequar os laboratórios de microbiologia e físico-química para que estejam aptos a realizar o novo escopo mínimo de ensaios (IN 30, divulgada em junho/2018) exigidos para credenciamento junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) até 2020, atendendo às exigências das indústrias goianas de produtos de origem vegetal e animal. Para o credenciamento, será necessária a realização dos ensaios conforme as metodologias oficiais, sendo primordial a aquisição de equipamentos, validação de métodos e realização de ensaios de proficiência no decorrer de 2019.

Já para o Instituto Senai de Tecnologia em Automação, também em Goiânia, o Projeto FAB LAB (laboratório aberto) proporcionará condições ideais para a promoção da inovação ao fomentar acesso a ferramentas de fabricação digital e conexão entre as pessoas. A proposta é um modelo de funcionamento aberto e sustentável. A partir do compartilhamento de projetos pelos diferentes tipos de usuários, esse banco de informações e competências vai evoluindo, facilitando e ampliando o processo de inovação em Goiás.

Construção

O Projeto LCC (Laboratório de Construção Civil) visa implantar infraestrutura necessária para atender à demanda compulsória dos ensaios da norma de desempenho (NBR 15575/13) para as construtoras de Goiás e para fomentar o desenvolvimento, a inovação e criação de novos produtos, sistemas e processos para a indústria do segmento.

O Senai também propôs à Fapeg parceria em um projeto de inovação para micro e pequenas empresas e startups de base tecnológica, destinado a beneficiar os melhores projetos pontuados, que contam na base de dados do tanto do IST Automação quanto do IST Alimentos e Bebidas.

Fonte: Fieg

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.