Divulgadas as propostas finalistas da 2ª edição do Prêmio CONFAP de Boas Práticas em Fomento à Ciência, Tecnologia & Inovação

Print Friendly, PDF & Email

O Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (CONFAP) divulgou, nesta quarta-feira (8), as propostas finalistas da 2ª edição do Prêmio CONFAP de Boas Práticas em Fomento à Ciência, Tecnologia & Inovação. As ações de boas práticas realizadas pelas Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs) serão premiadas em duas categorias: Desenvolvimento do Ecossistema de CT&I e Gestão e Desenvolvimento Organizacional. As propostas vencedoras serão anunciadas no dia 23 de março de 2023, na cerimônia de premiação nacional, que será realizada durante o Fórum Nacional CONFAP em São Paulo/SP.

O Prêmio visa reconhecer ações e procedimentos criativos, diferenciados, inovadores, eficientes e eficazes no fomento ao desenvolvimento e execução da Política Nacional de CT&I e, que por consequência, tenham potencializado a interação entre academia, setor produtivo, governo e sociedade e elevado a qualidade e/ou a quantidade de pesquisas científicas apoiadas pela FAP. As propostas classificadas em primeiro lugar em cada uma das categorias serão premiadas com certificado, troféu e medalha. Em segundo lugar, com certificado e troféu, e em terceiro lugar, com certificado e medalha.

Acesse aqui a publicação do resultado final com as propostas finalistas da 2ª edição do Prêmio CONFAP de Boas Práticas em Fomento à Ciência, Tecnologia & Inovação.

Conheça as propostas finalistas nas duas categorias:

*A relação das propostas finalistas está organizada em ordem alfabética.

Finalistas na categoria Desenvolvimento de Ecossistema de CT&I:

“Implantação de Centros de Excelência”, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG).
Como parte da estratégia para gerar resultados efetivos, calcados na amplificação de sua missão, a FAPEG iniciou tratativas para implantar a política pública de Centros de Excelência (CE) na capital e interior do Estado de Goiás, criando espaços onde grupos de pesquisa, empreendedores e empresas unem conhecimento e inovação, estimulando o desenvolvimento tecnológico e a interiorização do conhecimento. Esses centros nascem temáticos e alinhados com uma visão de longo prazo de liderança técnica, de inovação, de retenção de talentos e de crescimento econômico para o estado e para o Brasil. Até 2022, quatro Centros de Excelência foram lançados: em 2019 foi lançado o CEIA – Centro de Excelência em Inteligência Artificial; em 2020, o CEAGRE – Centro de Excelência em Agricultura Exponencial; em 2021, o CEMPA – Centro de Excelência em Estudos, Monitoramento e Previsões Ambientais e em 2021, o CEBIO – Centro de Excelência em Bioinsumos Agrícolas. Quatros novos Centros estão sendo planejados para os próximos quatros anos.

“Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação – NAPIs”, da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná.
Com o propósito de promover o desenvolvimento dos ecossistemas de CT&I do Paraná e, consequentemente o Ecossistema Nacional, a Fundação Araucária iniciou, em 2019, a implantação de um novo modelo de gestão denominado Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação no Paraná (NAPIs). A constituição dos Novos Arranjos tem se configurado como uma prática de fortalecimento e expansão de maneira mais intensa do Sistema Estadual de CT&I para a popularização da ciência e tem refletido no Sistema Nacional. 26 NAPIs foram lançados ou estão em elaboração. Esta prática envolve diretamente cerca de 600 pesquisadores. No período de 2019 a 2022 o investimento em fomento aos NAPIs foi de R$72 milhões. Do universo dos Napis já implantados, 7 são regionais e outros 19 são temáticos.

“Redes Inovadoras de Tecnologias Estratégicas – RITEs”, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS).
O programa Redes Inovadoras de Tecnologias Estratégicas – RITEs é o primeiro programa estadual para criação de redes de excelência em pesquisa e inovação no Rio Grande do Sul. Financiado com recursos extraordinários do Governo do Estado do RS em 2021 e 2022 (Programa Avançar RS), teve orçamento de R$30 milhões, sendo o maior programa em termos de orçamento da história da FAPERGS. O programa foi baseado em um estudo de 4 meses dos programas mais avançados de financiamento de grandes redes ou institutos de pesquisa em países como Dinamarca e Alemanha, bem como em critérios atuais de avaliação da produção acadêmica, por exemplo, os critérios do programa de avaliação das universidades Research Excellence Framework (REF) do Reino Unido. Ao final do processo de avaliação e seleção das propostas, foram aprovadas 14 RITEs, com financiamento médio de R$ 2,14 milhões cada uma. A FAPERGS espera que as RITEs sejam os focos estruturantes da pesquisa, tecnologia e inovação em suas áreas no Estado do Rio Grande do Sul.

Finalistas na categoria Gestão e Desenvolvimento Organizacional:

“Assinador Eletrônico FAPEMA”, da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA).
Em 2021, a FAPEMA implementou seu próprio Assinador Eletrônico, que surgiu da necessidade de aprimorar e automatizar o processo de coleta e/ou registro de assinaturas tanto no âmbito interno quanto externo, modernizando o processo de assinatura de diversos documentos como despachos, ata de reuniões, Comunicação Internas (C.Is), Termos de Outorga (T.Os) e também como forma de aproximar a instituição do seu público externo. Durante a pandemia, com a utilização do Assinador Eletrônico da FAPEMA, foi possível dar prosseguimento às atividades internas da Fundação no que se refere à assinatura dos documentos supracitados. Além disso, os(as) pesquisadores (as) puderam, durante o período de pandemia, enviar os documentos necessários assinados de forma digital, facilitando o processo de inscrição em editais da FAP, assim como a implementação de bolsas/auxílios recomendados para contratação. Desde sua implementação foram registrados no sistema: 29.930 assinaturas.

“Desenvolvimento e Implantação de Plataforma de Gestão de Processos e Fomentos e sua Integração com os Sistemas de Informação do Estado de Goiás”, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG).
A FAPEG iniciou em 2019, o desenvolvimento e implantação da Plataforma de Gestão de Processos e Fomentos e sua integração com os Sistemas de Informação do Estado de Goiás. O objetivo definido foi o de dotar a Fundação de plataforma de gestão com ênfase no acompanhamento de acordos, convênios e demais processos de concessão de fomento, desde sua formalização, concepção e alterações de plano de trabalho, formalização de aditivos, apresentação de relatórios parciais e finais de execução e prestações de contas financeiras, com atenção aos cronogramas e acompanhamentos de prazos de vigência, em aprofundamento dos recursos comunicacionais entre a FAPEG, seus parceiros e demais beneficiários de fomentos concedidos.

Como resultados diretos ou indiretos do uso da Plataforma, destacam-se: a eliminação quase completa de mais de 246 planilhas de controle e acompanhamento de projetos fomentados; a otimização nos acompanhamentos de prazos, vigências, valores ou parcelas de fomento a serem repassados, e cronograma de execução de projetos; equacionamento do risco de se liberar parcelas de fomento a projetos com vigência expirada, ou a bolsistas cuja defesa de tese ou dissertação já tenha sido registrada; maior celeridade nos trâmites para formalização de termos de outorga, pela submissão de documentos diretamente na plataforma, feedback e atendimento a diligências gerenciadas pelo sistema; a possibilidade de acompanhamento, em tempo real, das submissões de informações e documentos sobre execução dos projetos; e por fim, o equacionamento de um passivo de mais de 7 mil processos de prestações de contas, graças aos acompanhamentos de prazos e vigências, e emissão de notificações, parte delas já procedidas no interior da plataforma.

“Rotas Estratégicas de CT&I 2040”, da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná.
Com o objetivo de elevar a atuação da Fundação, principalmente no que diz respeito ao seu desenvolvimento organizacional, a Araucária juntamente com a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, e com o Observatório Sistema FIEP, produziu as Rotas Estratégicas de CT&I 2040. As Rotas são construídas principalmente por meio da identificação e caracterização de Domínios e Subdomínios de Transformação, ou seja, temas que passam a ser foco das Chamadas Públicas e dos Processos de Inexigibilidade lançados pela Fundação. Entende-se que estes temas quando apoiados têm maior potencial de transformação da sociedade pela CT&I. Quantitativamente foi possível a participação de 647 especialistas, oriundos da academia, do governo, das empresas e do terceiro setor; e foram identificados cerca de 2 mil ativos de CT&I no Estado do Paraná; 48 Domínios de Transformação e 208 Subdomínios de Transformação.

Assessoria de comunicação do CONFAP.

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.