Conselho Superior da Fapeg se reúne no CRTI

Segunda reunião anual do consup - crtiPosse de conselheiros, balanço financeiro e das ações do primeiro semestre, planejamento estratégico para 2019/2020, aprovação de projetos e apresentação de portfólio de projetos submetidos e dos próximos editais a serem lançados marcaram a segunda reunião de 2019 do Conselho Superior (Consup) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

A reunião foi realizada na manhã desta segunda-feira, dia 2 de setembro, na sede do Centro Regional para o Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (CRTI) da Universidade Federal de Goiás (UFG), no Campus Samambaia. Conduzida pelo presidente da Fapeg, que também preside o Consup, Robson Domingos Vieira, participaram da reunião, o diretor Científico e de Inovação, Marcos Fernando Arriel, e o diretor de Programas e Monitoramento, Vanderlei Cassiano.

Novos conselheiros
O presidente da Fapeg deu posse a oito conselheiros. Cinco que foram nomeados pelo governador Ronaldo Caiado para um mandato de três anos: Jesiel Freitas Carvalho, representante da Universidade Federal de Goiás (UFG); Alcido Elenor Wander, da Embrapa, na representação de Instituições Federais com ações em pesquisa, desenvolvimento e inovação em funcionamento no Estado; Joelma Abadia Marciano de Paula, representante da Universidade Estadual de Goiás (UEG); Sandro Dutra e Silva, da UniEvangélica, na representação de instituições de ensino superior de direito privado; e Priscila Valverde Vitorino, pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

Também tomaram posse: Pedro Leonardo de Paula Rezende (Emater) e Everton Chaves Correia (Sedi), em substituição aos conselheiros Maria José Del Peloso e Jefferson de Castro Vieira pelo prazo restante de seus mandatos, na representação das instituições estaduais com ações em pesquisa, desenvolvimento e inovação, em funcionamento no Estado e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Inovação, respectivamente. E ainda, Márcio César Pereira, em substituição a Maria Clorinda Soares Fioravanti pelo prazo restante de seu mandato, na representação de livre escolha do Governador do Estado.

Nova identidade da Fapeg
O presidente da Fapeg apresentou aos conselheiros a nova marca da Fundação, que vai trabalhar com um planejamento estratégico com foco em resultados e no fortalecimento de áreas de vocação do Estado alinhada à expectativa do Governo do Estado de conectar universidades, empreendedores, investidores e grandes empresas para inovar e gerar novos modelos de negócio, novas formas de trabalhar e novas tecnologias, viabilizando infraestrutura e financiamentos e incentivando programas de pós-graduação (mestrado e doutorado) em áreas de tecnologia e inovação. A meta é tornar Goiás um Estado mais eficiente e empreendedor. A ideia, segundo Robson Vieira, é construir um ecossistema que integre diversas instituições, de forma colaborativa.

Robson Vieira propôs um conselho articulado e solicitou apoio para direcionar e legitimar as ações da Fapeg nesse momento de crise nacional que o setor de Ciência, Tecnologia e Inovação vem passando, com contingenciamentos de recursos, suspensão de bolsas, cortes no orçamento de agências federais de fomento à pesquisa, como o CNPq, Capes e Finep, que são grandes parceiras para a consolidação da pós-graduação e pelo desenvolvimento científico e tecnológico brasileiro. “Criar novas oportunidades, novos modelos de atuação, com transparência e descentralização de recursos para estimular a inovação também nos municípios é meta da Fapeg”, comentou ele.Reunião do Consup no CRTI

Robson Vieira ressaltou a importância de se trabalhar com editais, mas falou da necessidade de se modernizar e desburocratizar a administração pública, realizando projetos institucionais estruturantes de grande impacto buscando parcerias com o setor privado para desenvolver pesquisa aplicada, sem deixar de apoiar os projetos de formação de recursos humanos qualificados e os editais universais.

Segundo o presidente da Fapeg, serão trabalhadas as seguintes estratégias:

Pesquisa tecnológica em áreas estratégicas: programas de pesquisa voltados à colaboração entre empresas e universidades, ou institutos de pesquisa, em temas considerados estratégicos para o desenvolvimento da inovação tecnológica do Estado de Goiás. Entre as metas estão fomentar dez laboratórios, inserir 10% de doutores formados em áreas tecnológicas nos setores empresariais, apoiar por meio de 300 bolsas para mestres e doutores, fomentar 40 projetos, aumentar em 10% o valor agregado do produto/processo ou solução; integrar cinco instituições de ensino e pesquisa com as empresas e gerar 40 solicitações de patentes.

Pesquisa para avanço tecnológico e científico: projetos de pesquisa básica e aplicada de longo prazo, que contemplem auxílio à pesquisa e bolsas.

Inovação: acelerar e fortalecer a inovação tecnológica por meio de subvenção econômica a incubadoras e a startups qualificadas visando a ampliação da competitividade e o desenvolvimento socioeconômico do Estado de Goiás.

Difusão científica e tecnológica: programas para garantir tanto a visibilidade da pesquisa quanto da inovação desenvolvida em Goiás, por meio da difusão e popularização da CT&I, e da participação de pesquisadores em eventos de alta relevância, nacional e internacional.

Formação de Recursos Humanos para C&T: apoio à formação de recursos humanos por meio da concessão de bolsas regulares para graduação e pós-graduação, nas modalidades iniciação científica, mestrado e doutorado.

Portfólio de projetos
Nos primeiros meses de gestão, a nova diretoria da Fapeg buscou aproximação com as instituições parceiras, seja academia, setor empresarial ou governo federal para o conhecimento da situação e da demanda. Colheu e selecionou projetos de instituições de Ensino Superior; das Instituições de Ciência, Tecnologia e Inovação, públicas e privadas e do setor representativo empresarial. Esse trabalho de visitas resultou em projetos que foram apresentados e selecionados pela Fapeg e que, na reunião do Consup passaram por aprovação. Foram 11 visitas realizadas pela diretoria da Fapeg, 18 visitas recebidas e 103 projetos apresentados que, após análise e seleção se concretizaram, até o momento, em 21 projetos que foram apresentados e aprovados pelos membros do Consup.

• Centro de Excelência em Inteligência Artificial- (UFG/Goiânia);
• Centro de Excelência em Internet das Coisas para Agronegócios – (IFGoiano);
• Laboratório Avançado para Caracterização Tecnológica de Minérios – (UFG/Catalão);
• Central de Serviços Laboratoriais para Agricultura – (UFG);
• Soluções de biotecnologia para o setor farmacêutico – ( UFG);
• Programa de Melhoramento Genético de Bovino Leiteiro em Propriedades Rurais (UEG/São Luís de Montes Belos);
• Centro de Pesquisa em Alimentos – (UFG);
• Prioridades Espaciais e Estratégias para Conservação e Restauração dos Recursos Naturais e Desenvolvimento Regional no Estado de Goiás – (UFG);
• Ampliação da Infraestrutura de Soluções do Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas – (Senai);
• Apoio para a realização de procedimentos analíticos junto ao CRTI por pesquisadores e empresas – ( CRTI);
• Produção de próteses de mão biônica com múltiplo acionamento de dedos – (UFG/Catalão)
• Desenvolvimento de Sistema de Produção de Açaizeiro – (UFG);
• Aproveitamento de subprodutos da industrialização do feijão no desenvolvimento de novos produtos para o consumo humano (UFG);
• Identidade digital dos produtos agrícolas comercializados em Goiás – (UFG );
• Soluções sustentáveis para a geração de resíduos têxteis e não têxteis de confecção do vestuário e calçadista goiano – (UFG);
• Empodera: autonomia e empoderamento de meninas e mulheres para o enfrentamento à violência de gênero e feminicídio – (IFGoiás);
• Inovação, Desenvolvimento e Sustentabilidade: Estreitamento entre Universidade e Setor Produtivo no Estado de Goiás – (Unievangélica);
• Projeto Estudantes de Atitude – Controladoria Geral do Estado (CGE);
• Avaliação do Programa de Gestão de Riscos no Estado de Goiás – CGE;
• Macroeconomia e o Estado de Goiás: Uma análise de curto, médio e longo prazo – Instituto Mauro Borges (IMB);
• Programa de Incentivos Fiscais são Eficazes? Evidências para o Estado de Goiás – IMB;
• Avaliação de Programas Sociais / Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e Protege – IMB.

Ao final da reunião, foram compostos os comitês de Orçamento e Contas e o Científico.

Consup
O Consup foi criado pela Lei n. 15.472, de 12 de dezembro de 2005, como órgão máximo de deliberação da instituição, com a missão de cumprir as finalidades da Fapeg por meio de suas competências determinadas pela mesma Lei de criação e alterações promovidas pela Lei nº 16.272, de 30 de maio de 2008.

Com quatro reuniões regulares realizadas durante o ano, o Consup é formado por 15 membros indicados entre representantes de instituições de pesquisa e de ensino superior, setor empresarial e do governo do Estado, além do presidente da Fundação, Robson Domingos Vieira, que conduz os trabalhos do Conselho.

Assessoria de Comunicação Social da Fapeg

Posted in Notícias, Notícias FAPEG.